A busca da Verdade dentro e fora da Polícia Militar

0

Foi com grande satisfação que, durante uma conversa com um colega da PM, fui perguntado sobre qual o tipo de leitura que eu sugeriria a ele, pois, na conjuntura atual, ele gostaria de se aprofundar e melhorar o seu entendimento da realidade. Porém, antes que eu respondesse, ele perguntou se o ideal era começar por Nietzsche*. Imediatamente respondi que seria a mesma coisa de começar um estudo do corpo humano pelo esfíncter ou, ao estudar a alimentação humana ele começasse pelas fezes.

Não o culpo, de maneira nenhuma, pela sugestão. Pois ele a teve baseada no senso comum hoje reinante nos círculos ditos acadêmicos e, por consequência, empurrada goela abaixo do restante da população pela grande mídia. Ele, graças a Deus, teve a percepção correta de que a realidade brasileira e mundial de hoje é por demais complexa para que com apenas o senso comum se possa extrair uma leitura correta mínima. Mas, por causa dos sinais errados colocados de propósito no caminho, ele poderia, sem sombra de dúvida, terminar como o citado filósofo: louco, depressivo, incoerente e suicida.

Esse caso emblemático reflete uma questão ainda mais profunda da nossa sociedade atual onde, segundo as últimas pesquisas, mais de 30% dos estudantes de ensino superior do Brasil são analfabetos funcionais**, ou seja, não conseguem ler e interpretar um texto simples. Isso no caso de jovens que estão em uma fase da vida onde tem tempo e oportunidade para estudar. A mesma pesquisa demonstra que o estudante universitário no Brasil lê (fora os livros que ele é obrigado a ler ou a copiar um resumo da internet durante o curso) um livro por ano. E o que é pior, esse livro geralmente é sobre autoajuda, ou lixos marqueteiros como 50 tons de cinza, Código da Vinci, ou qualquer outra porcaria que além de não servir pra nada, ainda emburrece ou cria linhas de pensamentos irreais ou deturpadas da realidade. Fora que a pessoa que perde seu precioso e inestimável tempo de vida com esse tipo de leitura sai dela achando que, agora, por ter lido um livro de letras grandes e capa colorida, faz parte da elite intelectual do hemisfério ocidental. Isso se deve a uma sentença do senso comum do brasileiro que o importante é ler, não importa o quê. Como se ler fosse um bem em si mesmo e não um instrumento para se alcançar o conhecimento. Se esse conhecimento veio através de um livro, um artigo, uma pregação, um vídeo de internet pouco importa, o que importa é a qualidade da informação que o emissor passou e se o receptor consegui alcançar e assimilar a parte essencial dela. Se ler fosse uma meta final em si um revisor de texto de jornal ou um diagramador de embalagens de papel higiênico seriam membros da Academia Brasileira de Letras…

Na Polícia Militar isso não é diferente, pois, obviamente, os membros de qualquer corporação, órgão ou empresa são brasileiros e como tal fazem parte da cultura do país, trazendo consigo os seus defeitos e qualidades, preconceitos e valores. Por isso não é de se admirar que algumas decisões, sejam elas tomadas por policiais nas ruas em operações ou ocorrências, ou de comando simples ou complexas, sejam tomadas por pessoas que tem uma visão distorcida ou errada da realidade, por absoluta falta de ferramentas intelectuais e de conhecimentos vitais de funcionamento da sociedade e dos valores permanentes que a sustentam. Isso se deve ao agravante que, diferentemente dos estudantes universitários, os policiais tem menos tempo livre para estudar e muito, mas muito mais obrigações inadiáveis, tanto no trabalho quanto na vida privada por conta da família que tem que sustentar. Aliado a isso temos o que o filósofo Olavo de Carvalho definiu como uma tragédia particular da falta do conhecimento, que ele definiu como: “Das virtudes humanas a inteligência é a única que a pessoa quanto mais perde menos ela sente falta.”*** Isso é visível no dia a dia, seja dentro da corporação, seja fora dela. Digo isso com conhecimento de causa pois durante dois terços da minha vida passei como a maioria da população, lendo pouco e mal (passei a minha adolescência lendo Stephen King, Luiz Fernando Veríssimo e outras porcarias), assistindo ao Jornal Nacional da Globo e lendo o Correio Braziliense (achando, é claro, que os veículos de grande mídia eram isentos e que buscavam informar de maneira idônea. A título de exemplo autoprobante a revista Veja desta semana traz um anúncio do jornal paulista Folha de São Paulo, onde, abaixo de uma foto de um homem barbudo e tatuado, lemos os dizeres: “A Folha é a favor do casamento Gay. Mas publica as opiniões discordantes”. Pelo menos esse jornal resolveu mostrar que defende a agenda socialista anti família com todas as letras. As opiniões discordantes que o jornal se refere são as dos colunistas Luiz Felipe Pondé e Reinaldo Azevedo).

A minha vida e visão de mundo mudaram radicalmente em 2003, devido a minha conversão definitiva a Igreja Católica, quando decidi me aprofundar na fé e no conhecimento da Revelação. Após esses 11 anos, depois de mais de 250 livros lidos, um cinco mil artigos e dezenas de documentários, programas e filmes, de ter tido contato com teólogos, filósofos, jornalistas e outros autodidatas posso, finalmente, dizer que a realidade começou a se descortinar e a mostrar o seu lado mais belo e radiante, que é o próprio Deus, e o seu lado mais horroroso e sombrio, que é o próprio inimigo de Deus em ação.

Para aqueles que quiserem iniciar essa caminhada, a do conhecimento, que é a busca da verdade de coração sincero, indico um caminho, um caminho ao qual eu já caminhei um bom pedaço e que não poupa os viajantes de percalços, túneis escuros e que parecem não ter fim, perigos e decepções, mas que, com a ajuda de grandes homens, verdadeiros gigantes, que com a sua força intelectual e moral, nos colocam nos ombros e, com a altivez dos heróis corajosos de outrora, no carregam pelo caminho de maneira segura e, onde temos que ir com os nossos próprios pés, nos apontam a trilha certa, nos avisam das armadilhas e tentações e nos mostram as pegadas daqueles que antes nós passaram por ali e que saíram do vale das sombras vivos e lúcidos para contar. Para esses valentes guerreiros da luta dos corações e mentes vai uma lista de livros, sites e artigos que podem ser de grande valia, lembrando que de nada valerá o conhecimento sem a pureza de intenções e a busca da verdade de coração sincero.

Olavo Mendonça.

 * Filósofo alemão do final do Século XIX. Escreveu sobre a morte de Deus como regente da sociedade e do homem. Morreu louco e cuidado pela irmã. (Obs. Deus continua vivo, regente da sociedade e do homem, já o filósofo…)

** Pesquisa citada no Livro “Manifesto do nada na terra do nunca”.

*** Assista ao vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=r1Yn3Jbr8Rc e leia o artigo: http://www.olavodecarvalho.org/semana/120604dc.html

 Para aqueles que quiserem mergulhar no mar do conhecimento na busca da Verdade eu indico alguns livros que podem ajudar a não se afogar, ou se perder nessa aventura. Deixo claro que todos os livros abaixo relacionados eu li e uso para consulta. Procurei colocar os links para as edições que possuo e que recomendo.

Livros: (para ver o site de venda do livro clique em cima do nome dele).

A Bíblia Sagrada, Deus, ED Ave Maria. Cuidado com edições de bíblias adulteradas, mal traduzidas ou com interpretação marxista, como as tais “Bíblias edição pastoral”. Isso é um veneno para a inteligência e a Fé.

O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota, Olavo de Carvalho, ED Record. 

Mentiram e muito para mim, Flávio Quintela, ED Vide Editorial.

A apoteose da vigarice, Olavo de Carvalho, ED Vide Editorial.

O mundo como jamais funcionou, Olavo de Carvalho, ED Vide Editorial.

Manifesto do nada na terra do nunca, Lobão, ED Nova Fronteira.

A verdade sufocada, Carlos Alberto Brilhante Ustra, ED Ser.

O livro politicamente incorreto da esquerda e do Socialismo, Kevin D Willianson, ED Agir.

O imbecil coletivo, Olavo de Carvalho, ED E Realizações.

O imbecil coletivo II, Olavo de Carvalho, ED E realizações.

A esquerda caviar, Rodrigo Constantino, ED Record.

Os Demônios, Fiódor Dostoievski, ED 34.

Arquipélago Gulag, Alexander SOLZHENITSYN, ED Harper. Esse livro só existe para venda em Inglês, porém é de fácil acesso em bibliotecas ou em PDF na internet. Existem vários exemplares com uma ótima tradução na biblioteca da Academia de Polícia Militar de Brasília.

Sussurros, Orlando Figes, ED Record .

A tragédia de um povo, Orlando Figes, ED Record.

Fascismo de esquerda, Jonah Goldberg, ED Record.

Ascenção e queda do Terceiro Reich, William E. Sherer, ED Agir. Livro em dois volumes ou quatro dependendo da edição. Esgotado no Brasil de fácil acesso em sebos on line e em PDF na internet.

Putin a face oculta do novo czar, Masha Gessen, ED Nova Fronteira.

Política, Aristóteles, ED Saraiva de bolso.

Ortodoxia, Chersteton, ED Mundo Cristão.

O Guia políticamente incorreto da história do Brasil, Narloch, ED Leya.

O Guia políticamente incorreto da história da América Latina Narloch, ED Leya.

O Guia políticamente incorreto da história do mundo Narloch, ED Leya.

Poder Global e religião universal, SANAHUJA, ED Eclesie.

O grande culpado, Suvorov, ED Amarilys.

Manual do perfeito idiota latino americano, Alvaro Vargas Llosa e outros, ED Bertrand do Brasil.

Filosofia e seu universo, Olavo de Carvalho, ED Vide Editorial.

A república,  Platão, ED Martin Claret.

Lenin, Stalin e Hitler,Robert Gellately, ED Record.

Confissões, Santo Agostinho, Ed Paulus.

Os sete pilares da sabedoria. T. E. Lawrence, ED Record.

O expresso Berlin Bagdá,Sean McMeekin, ED GLOBO.

 O livro negro do comunismo, Stephan Cortouis, ED Bertrand do Brasil.

Cortar o mal pela raíz, Stephan Cortouis, ED Bertrand do Brasil.

O Reno se lança no Tibre, RALPH WILTGEN, ED Permanência.

1984, Geoge Orwell, ED Companhia das Letras.

A revolução dos bichos, Geroge Orwell, ED Companhia das letras.

O futuro do pensamento brasileiro, Olavo de Carvalho, ED E Realizações.

Maquiavel ou a confusão demoníaca, Olavo de Carvalho, ED Vide Editorial.

 A Divina Comédia, Dante Alighieri, ED 34.

U-507 o submarino que afundou o Brasil na Segunda Guerra Mundial, Marcelo Monteiro, ED Schoba.

Ciência e Fé em harmonia, Felipe Aquino, Cleófas.

A primeira Guerra total, David Bell, ED Record.

Guerra e Paz, Leon Tolstoi, ED Cosac Naify.

Psicose ambientalista, Don Bertrand, ED IPCO.

Como a Igreja Católica construiu a civilização ocidental, Thomas Woods, ED Quadrante.

A Guerra dos Judeus, Flávio Josefo, ED Sílabo.

Blood in the Sand, Benny Hinn, ED Front Line. (em inglês)

 A Fé explicada, Leo J. Trese, ED Quadrante.

A imitação de Cristo, Tomas de Kempis, ED Paulinas.

Pio X, José Maria Javierre, ED Aster.

O drama de Pilatus, ED Vozes.

Maldita Guerra, Francisco Doratioto, ED Companhia das letras.

Memórias da Segunda Guerra Mundial, Winston Churchill, ED Saraiva. São dois volumes em português e seis volumes em inglês.

História de Israel, Martin Gilbert, ED 70.

Vídeos:

MSM.

A agenda.

A verdadeira história Soviética.

O Brasil na Nova Ordem Mundial.

 Sites:

Mídia sem Máscara.

Padre Paulo Ricardo.

Olavo de Carvalho.

Felipe Moura Brasil.

Rodrigo Constantino.

Professor Felipe Aquino.

WND.

Ciência confirma igreja.

Percival Puggina.

UnB Conservadora.

Garotas Direitas.

Instituto Ludwing Von Misses

Fratres in Unum.

Aluizio Amorim.

Rádio Vox.

Escola sem partido.

 Heitor de Paola.

 A Verdade Sufocada.

Anúncios

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA