Morre Mário de Almeida Mattos, Policial Federal oriundo da PMDF

0

Mais uma vez estamos de luto, outra vez somos obrigados a nos deparar com a prematura morte de mais um companheiro de farda. Neste domingo nos despedimos do guerreiro Mário de Almeida Mattos, 33 anos, morto em serviço durante um tiroteio em Sinop (MT), cidade a 503 quilômetros de Cuiabá. Mário encontrava-se no cumprimento do dever e tombou cumprindo um juramento que realizou por duas vezes, a primeira na Polícia Militar do Distrito Federal e uma segunda ao tornar-se Policial Federal. Na verdade não conheço o juramento prestado pelos policiais federais, mas quando o Mário tornou-se policial militar jurou cumprir suas obrigações mesmo com o risco da própria vida.

A morte do policial nos lembra de uma realidade dolorosa e absurda, no Brasil ocorre um massacre de policiais. Apenas no ano de 2014 quase 500 policiais militares foram mortos. Nestas terras de Vera Cruz ser policial é uma atividade ingrata, onde o reconhecimento do serviço é parco e ainda somos obrigados a conviver diariamente com a chacina dos irmãos de farda.

Se existe algum consolo para a família do Mário é que ele morreu como um verdadeiro herói, não estava escondido em algum escritório, engrossando a burocracia demoníaca deste país. Mas tombou realizando uma nobre missão defendendo nossas famílias e comunidades. Tirando de circulação bandidos perigosos e reincidentes.

Só podemos nos orgulhar deste herói que, tando na PMDF quanto na Polícia Federal, esteve na linha de frente, combatendo o crime e não furtou-se a entregar a sua vida na proteção das nossas.

Quero agradecer a família e aos amigos do herói Mário de Almeida Mattos por ter concedido a cada um de nos, seus companheiros de farda e de jornada o privilégio de tê-lo ao nosso lado e partilharmos da mesma missão. Nada poderá diminuir a dor que estão sentido agora, mas que possam ter orgulho de saber que sua coragem será sempre uma inspiração para todos os policiais, militares ou federais, seu legado será lembrado e celebrado.

Em momentos como esse que a Canção da Polícia Militar do Distrito Federal embarga nossos olhos e nos fazem clamar a Deus por tempos de paz.

“E ainda mesmo que morte nos caiba
Saberemos com honra morrer
De maneira que a Pátria bem saiba
Que cumprimos o nosso dever..”

(trecho da Canção da PMDF)

Que Deus o tenha.

Luiz Fernando Ramos Aguiar.

Fonte da foto: Olhar Direto.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA