Manifestação fracassa em atrair público e ainda provoca confronto com PM

0

Passeata na Esplanada dos Ministérios termina em confronto com a polícia.
Em movimento contra a corrupção, cerca de 500 pessoas marcharam pela cidade, a partir da Rodoviária do Plano Piloto. Ao chegar à Câmara Legislativa, um pequeno grupo tentou invadir o prédio, mas foi contido pela Polícia Militar.

Manifestantes cercaram carro da Polícia Militar Ambiental e foram reprimidos com o uso de spray de pimenta.

Manifestantes que protestavam contra a corrupção tentaram invadir o prédio da Câmara Legislativa do Distrito Federal na noite dessa segunda-feira (1º/7). A passeata começou pacífica, mas, depois de cerca de quatro horas de caminhada pela área central de Brasília, integrantes do movimento entraram em confronto com a Polícia Militar próximo à sede do legislativo local. Com a repressão policial, pessoas correram para o gramado central do Eixo Monumental e foram dispersadas por bombas de efeito moral. PMs fizeram revistas em busca de um laser que estaria atrapalhando o helicóptero da corporação, mas o objeto não foi encontrado. Pelo menos 400 homens da corporação acompanharam o protesto.

A movimentação na Biblioteca Nacional começou cedo, por volta das 15h. Um grupo de cerca de 200 pessoas esperava que os organizadores do protesto em uma rede social chegassem ao local para darem as coordenadas da caminhada. Horas depois, ninguém havia aparecido. Um grupo tomou a frente e decidiu ir até a Rodoviária do Plano Piloto reunir mais manifestantes. A estudante Natalia Leal, 17 anos, faz parte da Marcha do Vinagre e foi uma das que assumiram o comando do protesto. “É uma pena que 17 mil pessoas confirmem a presença no Facebook e quase ninguém apareça, nem os organizadores. É uma falta de respeito com quem se mobiliza”, afirmou a jovem. Na internet, o nome da página da mobilização era “Brasília contra a corrupção”.

Por Gabriella Furquim e Maryna Lacerda.

Fonte: Correioweb

{jcomments on}

Anúncios

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA