Navio de guerra americano é atacado pela terceira vez

1

Rebeldes do Yêmen, patrocinados pelo Irã, possivelmente atacaram com mísseis, pela terceira vez nesta semana, navios norte-americanos de guerra, segundo fontes oficiais do Ministério da Defesa dos Estados Unidos neste sábado.

Inicialmente, Oficiais do Ministério da Defesa disseram que houve um ataque com múltiplos mísseis quando três navios de guerra dos E.U.A patrulhavam águas internacionais por volta das 3 horas da manhã de sábado. O Comandante das Operações Navais, Almirante John Richardson, deu a entender que o ataque realmente aconteceu, quando disse aos jornalistas que “os navios, aparentemente, ficaram sob ataque no Mar Vermelho, quando mísseis de defesa costeira foram disparados da costa do Yêmen”.

No entanto, um Oficial do Pentágono disse depois que “apenas foi detectado pelos navios a possibilidade de uma ameaça com mísseis e que por isso foram tomadas medidas defensivas pelas embarcações”.

O Oficial acrescentou que todos os navios de guerra dos Estados Unidos naquela área estão a salvo e que “Medidas de pós-evento estão em andamento”, porém sem entrar em maiores detalhes.

Dois destróieres com mísseis teleguiados da Marinha Americana, o USS Mason e o USS Nitze, assim como o navio de transporte anfíbio, USS Ponce, estão em patrulha no estreito de Bab al-Mandeb, que conecta o Mar Vermelho com o Golfo de Aden, onde o incidente aconteceu.

O Uss Mason lançou contra-medidas de defesa contra o ataque dos mísseis, de acordo com outro Oficial, provavelmente usando mísseis SM-2, terra-ar, para abater os mísseis disparados da costa.

O incidente ocorreu dois dias depois do Presidente Obama ter autorizado o uso de mísseis de cruzeiro Tomahawk para atacar três bases de radar e lançamento de mísseis das Forças Armadas do Yêmen em retaliação por dois ataques com mísseis daquele país contra navios norte-americanos no começo da semana.

bab-al-mandeb
Estreito de Bab al-Mandeb onde o ataque aos navios norte-americanos ocorreu.

Um Oficial dos Estados Unidos disse a agência de notícias Associated Press que radares adicionais podem ter sido usados no ataque relatado de sábado.

O contra-ataque americano com mísseis disparados do navio USS Nitze, que destruíram as instalações militares de radar, foi a primeira participação do país na guerra civil do Yêmen, que está em andamento há dois anos.

Neste conflito interno os Estados Unidos estão dando suporte a Arábia Saudita, que lidera uma coalizão, contra os Houthis do Yêmen, com dados de inteligência, armas e aviões de reabastecimento aéreo.

O primeiro ataque de mísseis do Yêmen contra navios dos E.U.A ocorreu no domingo, logo depois que um caça de guerra da coalizão liderada pela Arábia Saudita ter bombardeado um funeral, matando 140 pessoas e deixando centenas de feridos.

No início do mês, um míssil disparado pelo Yêmen destruiu um navio de suprimentos dos Emirados Árabes, que fazem parte da coalizão liderada pela Arábia Saudita. Esse navio que afundou pertencia, antes de ser vendido para os Emirados Árabes, a uma empresa norte-americana.

Com informações do repórter da FOX NEWS Lucas Tomlinson e com contribuições da agência de notícias Associated Press.

Fonte: FOX NEWS.

Tradução: Olavo Mendonça para o BlitzDigital.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA