Construindo relacionamentos seguros

0

No momento em que estamos envolvidos com outra pessoa, seja em que nível for, doamos uma parte importante de nossas vidas. Não importa qual o tipo do relacionamento, de alguma forma o compartilhamento de emoções e experiências fazem com que o outro receba uma parcela de nossa existência. Cada olhar, cada gesto, cada renúncia, são como tijolos que empregamos na construção do relacionamento.

Quanto mais tijolos acumulamos maior fica a construção. O problema é que bons tijolos podem vir misturados a ruins. O resultado é que todo o conjunto da obra pode acabar desestabilizado, a construção fica enfraquecida.
Mesmo que a estrutura conte com muitas peças boas, blocos ruins, estrategicamente colocados, podem ser sinônimo de desmoronamento.

Infelizmente não é possível remover os tijolos ruins, já estão na constituição da obra. Também não dá para desmontar o prédio para refaze-lo. Como em muitas obras ameaçadas de queda a única solução possível é reforçar as fundações e as colunas do edifício. Assim, é fundamental pensar quais são os fundamentos, ou a fundação, sobre os quais nosso relacionamento está apoiado.

Como em uma construção não são os tijolos que garantem a estabilidade do prédio. Ao contrário as paredes precisam estar escoradas em colunas de concreto, e toda a edificação se prende ao solo pela fundação. Quanto mais sólida a fundação maior a estabilidade da construção.

Se os nossos relacionamentos estiverem apoiados apenas em nossa performance, nossos gestos, olhares, presença, ausência erros e acertos, estarão destinados a instabilidade, provavelmente a ruína. Para que o prédio permaneça de pé nossas fundações devem ser sólidas e estar muito bem ancoradas. Neste sentido, a Bíblia nos ensina que nossas vidas precisam estar ancoradas na rocha. E não existe outra rocha senão o nosso Senhor Jesus.

(Mateus 7:24-27)

Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha;

E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha.

E aquele que ouve estas minhas palavras, e não as cumpre, compará-lo-ei ao homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia;

E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e caiu, e foi grande a sua queda.

Se edificarmos nossos relacionamento na Rocha, a prudência da obediência às suas palavras a ação do espirito santo em nossas vidas e a esperança na vida eterna, nos levarão a viver em misericórdia e perdão. Nossa performance ainda terá alguma importância, mas secundária, uma vez que nosso foco será agradar a Deus.

Luiz Fernando Ramos Aguiar

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.