Torres Policiais a evolução das guaritas

0

O desenvolvimento da segurança pública no Brasil sofre em razão de diversos fatores, desde as barreiras legais mais aviltantes até os processos culturais que colocam no imaginário popular que os agentes responsáveis pela imposição das leis. Além disso, em razão da situação econômica e política os policiais são privados de equipamentos e tecnologias básicas que, disponíveis, poderiam ser ferramentas para auxiliar no combate ao crime e dar segurança aos profissionais da área.

Guarita em presídio do Rio Grande do Norte
Guarita de presídio

Um exemplo deste tipo de tecnologia são as torres policiais de vigilância equipamentos relativamente simples, amplamente usados em países de primeiro mundo e completamente desconhecidos por nossas forças de segurança. Consistem em equipamentos móveis, que podem ser instalados em pátios, estacionamentos, áreas abertas, campos desportivos para realizar monitoramento e vigilância de um ponto privilegiado. Geralmente as torres são dotadas de mecanismos de elevação da plataforma de vigilância para permitir que o policial tenha um a visão estratégica da área de monitoramento. 

As torres são uma evolução das antigas guaritas, amplamente utilizadas para vigilância de unidades prisionais, condomínios residenciais, prédios públicos e outros tipos de instalações. A ideia deste tipo de equipamento é colocar o agente de segurança em um local protegido, permitindo a permanência por longos períodos, e com localização e posicionamento que possibilitem ao profissional observação e vigilância. Os objetivos são a proteção de edificações ou de áreas determinadas. As torres de vigilância policial usam princípios muito semelhantes, mas são dotadas de soluções que permitem uma utilização mais flexível e segura.

No Brasil quando se pensa em equipamentos dessa natureza, para uso policial, geralmente estão integrados a postos fixos. As torres elevadas acabam sendo construídas, ou instaladas, em postos policiais, geralmente construídos em alvenaria. Os postos policiais transmitem a população próxima uma sensação de segurança importante, mas não podemos deixar de registrar que, muitas vezes, acabam se tornando pontos

Posto policial da Policia Militar do Estado de São Paulo. Neste exemplo uma unidade com estrutura de proteção balística, tanto nas paredes quanto nas janelas. Proteção para os policiais, mas imobilização do efetivo.
Posto de Policiamento Comunitário, usado pela Polícia Militar do Distrito Federal. A estrutura era frágil e desconfortável, não protegia os profissionais e imobilizava o policiamento. Projeto acabou abandonado, era dotado de uma torre de vigilância fixa, estrutura á direita na foto.

Com o advento dos circuitos internos de câmeras de vigilância o uso das guaritas tem diminuído de forma progressiva, pelo crescimento de uma tecnologia mais versátil e barata. Entretanto, em muitas situações a presença do agente de segurança ainda é indispensável para a manutenção da integridade propriedade ou da vida das pessoas. Principalmente quando se trata de segurança pública.   

Para suprir estas necessidades diversos países no mundo empregam uma tecnologia simples e, relativamente barata, as torres de vigilância. As torres policiais consistem em plataformas móveis que podem ser empregadas de maneira flexível. Após posicionadas podem ser mantidas no local por longos períodos de tempo ou deslocadas conforme a necessidade operacional. Por exemplo, no caso de um evento esportivo torres podem ser posicionadas em uma área de estacionamento para proporcionar ao policiamento visão privilegiada. Dessa forma, com o emprego de um efetivo menor pode-se cobrir um perímetro mais amplo, otimizando o emprego do policiamento e diminuindo a quantidade de policiais imobilizados.

As torres policiais são desenvolvidas por grandes corporações e são dotadas de tecnologias mecânicas, eletrônicas e digitais que possibilitam ao operador do equipamento realizar uma vigilância ativa em um grande perímetro, com segurança, conforto e efetividade. Estas torres acabam funcionando como uma ponto de observação que pode orientar tanto os policiais de serviço quanto os comandantes das operações. Otimizando tanto as decisões táticas quanto estratégicas.

Policial opera torre policial dotada de plataforma elevada e câmeras de vigilância, no caso o equipamento, desenvolvido pela Flir, foi emprestado ao Departamento de Polícia de Pittsburgh para realizar policiamento durante um show de música country.

A torre da FLIR tem um custo aproximado de 150 mil dólares, nos Estados Unidos. Custos e logística de importação podem encarecer o equipamento em caso de aquisição por alguma corporação nacional. Mas dada utilidade prática estudos devem ser conduzidos para estabelecer se este tipo de tecnologia teria viabilidade de implementação e qual seria o custo/benefício.

Torre policial posicionada em estacionamento, plataforma elevada para proteção do policial e posicionamento estratégico dos equipamentos de vigilância e monitoramento.

Mesmo as torres policiais já possuem versão mais modernas e robustas, a Reconview criou recentemente uma torre policial robustecida. Além das características já citadas o equipamento foi desenvolvido com proteção balística e estrutura mais forte.

Características da torre com proteção balística:

  1. Pode acomodar confortavelmente quatro pessoas e possui cabine climatizada. Torres balísticas tendem a ser apertadas devido à espessura do metal balístico, mas este equipamento foi desenhado pensado no espaço interno para os operadores.
  2. O design hexagonal oferece resistência máxima ao vento e visão de 360 ​​graus.
  3. As câmeras térmicas oferecem a possibilidade de monitoramento noturno ou em áreas de baixa visibilidade. Os holofotes aumentam o fator de dissuasão. Janelas espelhadas permitem que a torre seja eficaz mesmo quando não tripulada. Com esse recurso autônomo, as pessoas não podem dizer se a torre está ocupada ou não.
  4. Fácil instalação e desmontagem. A torre ocupa o espaço de uma vaga de estacionamento comum possibilitando a utilização em vários tipos de cenários operacionais.
Torre desenvolvida pela Reconview com proteção balística. Confere maior proteção ao profissional e pode ser usada em cenários mais extremos, como manifestações ou após desastres naturais.
Torre com proteção balística com plataforma elevada acionada.

A adoção de tecnologias flexíveis dotadas de tecnologia de vigilância e monitoramento pode ajudar as corporações a operar de forma mais segura e efetiva de seus recursos operacionais. Mas conhecer as tecnologias e estudar seu emprego nos diversos cenários do país é o dever dos gestores e comandantes das forças policiais.

Referências :

https://www.policemag.com/545949/reconview-unveils-a-newly-redesigned-bullet-resistant-mobile-surveillance-tower-for-law-enforcement

post-gazette.com/local/city/2018/06/01/Pittsburgh-police-skywatch-winch-mobile-surveillance-tower-kenny-chesney-concert-FLIR/stories/201806010134

https://reconview.com/

Anúncios
COMPARTILHAR
Artigo anteriorSérie Chernobyl HBO

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.