Venezuela manda 17 mil militares para a fronteira com a Colômbia.

0

Governo Venezuelano diz que posicionou 17 mil tropas ao longo da fronteira com a Colômbia, que está fechada desde segunda feira como parte de uma operação anti contrabando.

Mais da 40% dos bens consumidos no mercado doméstico da Venezuela são contrabandeados da Colômbia, onde são vendidos a preços muito mais altos, alegam as autoridades venezuelanas.

A fronteira entre os dois países foi fechada na madrugada de segunda feira e ficará fechada todas as noites durante o período de um mês.
Essa ação foi acertada com o governo colombiano.

O Governo Venezuelano anunciou originalmente que o plano seria de fechar os 2,200 km- (1,360-milhas) da fronteira todas as noites indefinidamente.
Porém, depois, o General de polícia encarregado da operação, Vladimir Padrino Lopez, esclareceu que o bloqueio será suspenso depois de um mês.

A fronteira permanecerá fechada entre as 22:00 horas e 05:00 da manhã.

Veículos de Carga, incluindo vans e caminhonetes, não poderão cruzar a fronteira durante esse período.

Quadrilhas e traficantes.

A Venezuela, que tem um dos preços mais baratos de combustível no mundo, estima que mais de 100.000 barris de petróleo são contrabandeados todos dias para a Colômbia onde o preço é mais alto.

Os 17 mil militares “são o suficiente para garantir a segurança” ao longo da fronteira, diz o General Padrino Lopez.

Um frentista de posto de gasolina da Venezuela mostra o dinheiro usado para encher um tanque de um carro.

Na Venezuela você consegue encher o tanque de um carro médio por menos de um dólar $1 ou 60 centavos de euro (£0.60) ou dois reais e trinta centavos R$ 2,30.

Um homem desanima ao encontrar todas a prateleiras do supermercado vazias em Caracas no dia 14 janeiro de 2014.

A falta e o desabastecimento de itens básicos como papel higiênico e pão tem deixado irritados os consumidores por toda a Venezuela.

O governador do estado venezuelano de Tachira, Jose Vielma Mora, disse que os líderes regionais apoiam as medidas.

“Temos evidências que os contrabandistas trabalham dia e noite,” disse o governador a um jornal local.

A Insatisfação da população é geral com a escassez e com o desabastecimento, além da explosão de criminalidade e de inflação, que fez com que milhares de pessoas dos estados de Tachira e Merida tomassem as ruas em violentos protestos em janeiro deste ano.

Os protestos se espalharam rapidamente pelo restante da Venezuela, que enfrenta os mesmos problemas.

A oposição culpa as políticas esquerdistas dos últimos 15 anos de governo socialista, iniciadas pelo presidente (já falecido) Hugo Chavez, pela crise econômica que o país enfrenta.

 O contrabando de bens de consumo baratos da Venezuela é visto como um problema sério também pela Colômbia.

O Governo Colombiano disse que isso leva a uma imensa evasão fiscal e a queixas de empresários locais de competição injusta, pois eles recolhem os impostos do país.

Os lucros vão desses negócios ilegais vão para traficantes de drogas e para os guerrilheiros de esquerda, disse à BBC Arturo Wallace em Bogotá.

Fonte: BBC de Londres.

Tradução: BlitzDigital.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA